É muito comum encontrarmos em nosso país cidades expandidas de maneira desordenada e sem infraestrutura adequada para acompanhar o crescimento e atender à demanda do escoamento de suas águas pluviais. Recife é um bom exemplo disto.

Além disso, o próprio crescimento das áreas urbanas acaba por modificar os dispositivos de drenagem natural das águas durante os períodos de chuva, como a falta da infiltração da água no terreno. Em regiões onde o nível médio do terreno é localizado abaixo do nível do mar, a situação fica ainda mais complicada, principalmente em locais onde os sistemas não possuem manutenção adequada para funcionar da maneira correta.

A rede de drenagem pluvial conduz a água da chuva que não precisa de tratamento, diretamente para os rios e lagos. Já a rede de esgoto, direciona os resíduos líquidos gerados nas residências para as estações de tratamento de esgotos, para após sua recuperação, ser lançada nos corpos hídricos.

Com o aumento da quantidade de água, devido a época de chuvas, caso esses sistemas não estejam adequados pode haver confusão entre as duas redes e provocar o despejo de esgotos sem o tratamento correto em rios e córregos, que além de poluir a água potável dos rios, propaga doenças para a população. Já a sobrecarga nas redes de esgoto, causa o rompimento das tubulações, extravasamento e o retorno de esgoto para as residências.

Segundo Diogo Botelho, a importância da manutenção, remanejamento e implantação de redes de esgoto é crucial neste tipo de serviço, visando minimizar as comunicações indevidas entre esses dois sistemas, foi o que o motivou na produção da Tese de pós-graduação, “Análise de Alteração de tratamentos de esgoto Devido à Intrusão de Águas Pluviais”, que está perfeitamente alinhada com o trabalho já desenvolvido pelo Grupo Alves da Cunha (GAC), onde o mesmo acredita que a mesma esteja sendo de grande contribuição para a melhoria dos serviços prestados pela empresa.

Além do caso específico da capital pernambucana, o GAC atua em diversos estados do Brasil em contratos de manutenção, adensamento e crescimento vegetativo de ligações e redes, contribuindo para correções desses tipos de problemas e diversos outros atrelados ao saneamento básico, garantindo a água e a saúde para a população.